quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

2012 - Novo ano

"Fui ao professor com trêmulos lábios, minha tarefa incompleta: 'O senhor tem uma folha nova para mim, professor? Eu manchei esta.' Ele pegou a folha velha, riscada e borrada e me deu uma novinha sem manchas.
" E olhando nos meus olhos, sussurou: 'Meu filho, desta vez faça melhor.'
"Fui ao Mestre com lábios trêmulos, minha tarefa incompleta. 'Mestre, o Senhor tem um novo ano para mim? eu manchei este.' Ele pegou o ano velho, riscado e borrado e me deu um novinho, sem mancha.
"E olhando ao meu coração disse: 'Meu filho, desta vez faça melhor!"


Fonte: Meditações Diárias - Momentos de Graça, de José Maria Barbosa da Silva

Amigos, muitas vezes os alunos pedem provas novas quando erram na primeira que lhes entregamos. Nem sempre é possível, entregar outra. Mas Deus pode nos dar a oportunidade de renovar nossa vida a cada dia e a cada ano. Vamos nos regozijar, agradecer e usar da melhor forma a folha nova de 2012.

sábado, 15 de outubro de 2011

Diferentes ocasiões, diferentes níveis de linguagem

A autora do artigo que vamos ler a seguir, Elaine Cristina Carvalho Duarte, é mestre em literatura pela Universidade de Brasília, residindo atualmente na Noruega. Leiamos alguns fragmentos do texto:

"Usar a língua é como usar roupas, tudo é permitido desde que sejam respeitadas as convenções necessárias. (...)

Cada comunidade tem sua própria forma de se expressar. Se pensarmos em nível nacional, cada região do país tem sua maneira de usar a língua. Um gaúcho fala diferente do mineiro, que fala diferente do paulista, que fala diferente do pernambucano, e assim por diante. A essas diferenças chamamos variantes linguísticas. Não há uma variante melhor que a outra, todas são igualmente importantes e representativas da cultura das comunidades que as falam. (...)

Com a língua escrita a coisa não é muito diferente. Temos os vários ambientes de escrita e cada um deles é diferente do outro. Um texto júrídico é diferente de um texto acadêmico, que é diferente de um bilhete, que é diferente de um bate-papo no MSN e assim por diante. Portanto, tanto na língua falada, como na escrita, devemos respeitar algumas convenções."

Assim, queridos alunos, há hora para usar a liberdade que a internet possibilita nos bate-papos do messenger, mas há hora para a correção ortográfica e de pontuação que a norma culta da língua exige.

Vamos estudar Português para dominar a norma culta. Quando for necessário, todos estarão aptos a utilizá-la. E logo teremos ex-alunos do CEM3 em vários setores da sociedade, com muito êxito em sua vida profissional e pessoal.

Para lembrarem, vejam minha foto no casamento do meu filho e uma outra foto na praia. Roupa social, roupa esportiva e até pés descalços. Cada padrão no seu tempo certo.



sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Registro







Vejam duas publicações antigas, do meu blog Viver. Uma antecipava minha aposentadoria. Outra conta quando ela aconteceu. Continuarei publicando aqui no Sala de Português eventualmente, certo?  Um beijo a todos.

Colhendo bênçãos
Nem notei, mas chegamos à 101ª publicação neste blog.

Iniciando a segunda centena, aproveito para contar que leciono há alguns anos e estava esperando me aposentar no próximo ano. Em fevereiro, resolvi ir à sede da secretaria de educação para ter uma ideia exata de quando completaria o tempo exigido.

Na recepção me indicaram a sala onde deveria me informar. Chegando lá, em alguns minutos fiquei sabendo que já poderia ter-me aposentado em junho do ano passado. É que eu não estava a par das normas para aposentadoria no serviço público.

E, mesmo sabendo das normas, ainda não pedi a aposentadoria.

Estou pensando hoje nas bênçãos que deixamos de colher porque não conhecemos as palavras de Jesus, ou nos esquecemos delas: "Pedi e recebereis, batei e abrir-se-vos-á." E ainda quantas bênçãos deixamos de viver e agradecer porque não as reconhecemos.

O Mestre nos oferece grande fonte de poder - o poder do Senhor - através da oração. Se tão somente orarmos, Ele promete abrir as janelas do céu e derramar sobre nós bênção sem medida. Bênçãos para colhermos e agradecermos.

Estou escolhendo a época mais indicada para pedir a aposentadoria, mas já aviso que não vou me aposentar do blog. Um abraço a todos.  
 
Registro


Lembrei hoje que há uns 35 anos meu primo Pedro, na realidade primo de minha mãe, meu primo segundo, pediu que eu pesquisasse para ele uma determinada edição do Diário Oficial da União, e uma determinada página, da qual eu deveria obter uma cópia.

Era a página em que estava registrada a aposentadoria do Sr. Pedro. Explicou-me que era importante esse registro do término de uma etapa da vida. Precisava tê-lo guardado nos seus documentos. Não precisei ir até a sede da imprensa nacional, onde, a propósito, há um bonito museu, que visitei recentemente. Mas, como dizia, não precisei ir até lá na ocasião, porque encontrei cópia da edição que procurava do Diário Oficial num setor da empresa em que trabalhava e a encaminhei pelo correio para minha mãe, que a fez chegar às mãos do primo. Creio que ele ficou alegre ao recebê-la e deve tê-la arquivado nos seus guardados.

Lembrei dessa pesquisa que fiz há 35 anos quando hoje achei na internet a última movimentação do meu próprio processo de aposentadoria:" publicado no Diário Oficial de 08 de setembro". Como hoje é 08 de setembro, passei a procurar o DOU, mas foi fácil: ele é localizado através da internet, e em poucos minutos achei no segundo caderno, na página 114, a publicação da minha aposentadoria.

Já imprimi essa página, entreguei uma cópia à minha chefia e, como fez meu primo, vou guardar outra nos meus arquivos pessoais. É o registro do fim de mais uma etapa - início de outra.

E sou grata a Deus por isso.

"Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres." Salmos 126:3

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Intertextualidade

Comentamos em sala de aula que os textos se relacionam com outros, o que se chama intertextualidade.
Lembrei de mostrar um exemplo na linguagem da música.
Devem conhecer a famosa  música "Aleluia", de Haendel. Estou colocando um vídeo dessa música e da música "Aleluia ao Senhor", de Suzane Hirle e Felipe Valente. Esta última é composta recentemente e guarda intertextualidade temática e também referencial com a primeira, pois reproduz o tema melódico da primeira.

Vejam que interessante a relação entra as duas músicas.


Aleluia ao Senhor, de Suzane Hirle e Felipe Valente


"Aleluia", de Haendel

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Um escritor em sala de aula

É agora meu aluno o Nicholas, que se expressa através das palavras. Já é autor de um romance e está procurando uma editora para publicá-lo.
Também escreve poesia, e aqui está um fragmento de um poema escrito por ele.
                                                          Príncipe
                                                                   
                                                                 Nicholas V. Vieira

O tempo pode passar
E os meus pés podem cansar
Mas tudo passa
Nada fica

Ainda não sou rei
Sou apenas um humilde e pequeno príncipe
Sei que na realidade
Posso não ter poderes
Posso não ter reino
Posso não ter servos
Mas isso pouco importa
Sei que o meu poder é maior

Posso não ter poderes sobre o que a convicção humana
                                        acha que é certo
Mas tenho poderes sobre minhas palavras
Sobre minhas letras
Sobre meus poemas
E assim como qualquer um
Sei que tenho meu reino

O reino da poesia
O reino das histórias e estórias
O reino das palavras
O reino do sentimento
O reino da força de expressão
O reino da própria expressão

(...)

Siga em frente, Nicholas,  usando a força da palavra para expressar sua percepção  de você próprio  e do mundo.






domingo, 17 de julho de 2011

Depoimento de Júnio

Frases construídas pelos alunos no fechamento de um ano letivo

Foi com surpresa  e alegria que recebi um depoimento de meu ex-aluno Junio num site de relacionamento.
Muito obrigada, Júnio, muito legal sua mensagem.

Parabéns!!!
Uma das grandes bênçãos da vida é a experiência que os anos vividos nos concedem.
Aniversariar é uma amostra das oportunidades que temos de aprender a contar os nossos dias.
Hoje, mais uma janela se abre diante de seus olhos, mais um espinho foi retirado da flor, restando apenas a beleza de tão bela data.
Os sintomas da felicidade se traduzem no otimismo, na fé,
na esperança, tenha empenho por  ser melhor a cada dia.
Continue trilhando pelos vales da vida, pois um dia encontrará o mais belo jardim,
o jardim que representará a realização de seus maiores sonhos.

Que Deus a ilumine, todos os dias de sua vida.

Feliz Aniversário!

CoM CaRiNhO, JÚNIO

E registro aqui algumas das frases que mais apreciei nessa mensagem:

"Uma das grandes bênçãos da vida é a experiência que os anos vividos nos concedem. (...)
Aniversariar é uma amostra das oportunidades que temos de aprender a contar os nossos dias."

A cada aniversário podemos agradecer a nosso Deus pela experiência de mais um ano e de todos os anos que já nos concedeu. Aniversariar também é uma oportunidade para contar nossos dias, registrar a passagem do tempo e procurar usar cada vez melhor essa dádiva do Criador que é a vida.
Nas mensagens construídas pelos jovens, encontramos grandes verdades e lições também para nós, os adultos.

Um abraço para você, Júnio.
Com carinho, da Celina

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Produção de texto: O que melhora com o tempo

Propus esse tema para a turma do primeiro ano C.
Vejam esta redação do Samuel.

Tudo começa quando nós nascemos, e isso se chama VIDA.
Nós aprendemos com a vida, todas as coisas que passamos, todas as experiências são um modo de aprendizado. Tudo que aprendemos um dia vai nos servir como lição e às vezes vamos lembrar como aquilo que passamos nos ensina algo.
Com o decorrer do tempo, nós vamos ficando cada vez mais experientes e às vezes mais sábios, quanto mais velhos ficamos, mais  a vida exige de nós, pois uma pessoa na fase adulta começa a ter mais responsabilidade e podemos dizer que se torna mais útil para os outros que necessitam de ajuda.
A vida é como um livro, que tem início, meio e fim, e podemos criar nosso fim de várias formas, sendo uma pessoa boa em toda a trajetória ou optar por um fim ruim, ser uma pessoa má e menosprezada.
Mas infelizmente chega o dia em que temos de partir, pois já estamos fracos e não suportamos mais a vida, mas temos a certeza de que deixamos boas lembranças aos que amamos.

Apreciei sua redação,  querido aluno!

             .

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O que mamãe deseja no Dia das mães

É início de maio, início do mês das mães.



No segundo domingo de maio, a mãe é homenageada, lembrada, presenteada.


O comércio, a indústria esperam que se comprem muitos presentes.


É certo que as mães amam presentes, mas o que mais esperam nesse dia que se aproxima?


A mãe de crianças pequenas pode esperar um dia de tranquilidade, em que possa estar apenas acompanhada de seus meninos e do pai deles, quem sabe sem ter de lavar a louça e as roupas e limpar a casa.


A mãe de adolescentes espera que não saiam de casa nesse dia, pelo menos na hora do almoço, e que a acompanhem numa refeição alegre, com conversação alegre e sem temas polêmicos.


A mãe de filhos adultos espera que os mais próximos venham passar o dia ou quem sabe uma hora com ela e que contem histórias e fatos agradáveis. Com certeza quer que tragam os netos, para que todos contemplem nas crianças a graça, a inocência, o futuro e fiquem felizes com isso. E que os que moram mais longe telefonem, mandem cartões, mensagens.


A mãe quer ser lembrada e amada.


Não é isso que diz o conselho bíblico sobre honrar pai e mãe, para que se prolonguem os dias na terra?

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Resultado da prova

Alguns alunos aguardam com ansiedade o gabarito da prova.
Veja:
Questões tipo A
1 - C
2 - E
3 - E
4 - C
5 - C
6 - E
7 - E
8 - E
9 - E
10 - C
11 - E
12 - E
13 - E
14 - E
15 - C
16 - E
17 - C
18 - C
19 - C
20 - E
21 - E
22 - E
23 - E
24 - C
25 - C
26 - E
27 - E
28 - C
29 - E
30 - E
31 - E
32 - C
33 - E
34 - E
35 - C
36 - E
37 - E
38 - C
39 - C
40 - E

Questões tipo B

1 - 056
2 - 021
3 - 022
4 - 026
5 - 030

Questões tipo C

1 - d
2 - b
3 - a
4 - a
5 - e
6 - c
7 - d
8 - b
9 - d
10 - b

Veja agora algumas questões de português:

Questões tipo A
1 - No texto 01, na palavra "vergonha", temos apenas um caso de dígrafo, e o mesmo ocorre com as palavras "sinto" e "mim". Certo, pois nh, in e im são os únicos dígrafos nas respectivas palavras em que ocorrem.

4 - No fragmento "Sinto vergonha de mim.../por ter sido educador de parte desse povo, por ter batalhado sempre pela justiça (...)/e por ver este povo já chamado varonil/enveredar pelo caminho da desonra.", no texto 1, é possível observar um contraste entre os princípios pelos quais o eu-lírico sempre lutou e a situação moral que observa na sociedade atual. (Eu-lírico=a voz que fala no poema)
Certo, pois o eu-lírico declara ter sempre lutado pela justiça e observa o povo enveredar pelo caminho da desonra, que tem conotações com injustiça, desonestidade, contrastando, portanto, com os princípios perseguidos.

5 - A referência em "este povo já chamado varonil" é exofórica, por remeter a dados não constantes no texto.
Certo, porque o referente é povo brasileiro, não mencionado explicitamente no texto.

Questões tipo C
2 - O cuidado especial com a forma da mensagem, demonstrado no uso de inversões, linguagem no sentido conotativo e rimas indica o predomínio da função de linguagem chamada:
b - poética.
Na função poética, há uso de todos os recursos mencionados.

4- A função de linguagem predominante na canção "Tocando em frente" é:
a - função emotiva.
A presença da primeira pessoa verbal denota que o emissor expressa seus sentimentos e seu posicionamento diante da vida.

Poderemos comentar outras questões, ou todas as de língua portuguesa, em sala de aula.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Entrada de blog e uma lâmpada quebrada

Estávamos estudando hoje sobre os gêneros textuais, que são inúmeros, como relatório, carta, artigo de jornal, email, editorial, e sobre os tipos textuais em que se enquadram os diversos gêneros.
Não costumo deixar alunos entrarem muito atrasados em sala, mas hoje resolvi permitir que alguns entrassem exatamente no início da aula, quando fazíamos a revisão de um outro conteúdo, antes de entrar no assunto atual dos estudos.
Foi então que a aula foi totalmente interrompida com a entrada de vários retardatários.
Mais tarde pedi que fizessem uma produção de texto no gênero entrada de blog ou artigo de blog. Vejam o que um dos retardatários escreveu:

Hoje, dia 06.04, aconteceu algo inusitado na aula de Português.
Quando o sinal tocou, fomos todos para a sala de Português. Alguns alunos foram direto para a sala e outros cinco ficaram lá fora. Quando entraram na sala, não havia mais cadeiras para sentarem e tivemos que ir buscar mais cadeiras para sentar.
Um dos alunos - "eu" - acertou a lâmpada da sala de aula, que espatifou-se no chão, assustando várias pessoas, que logo correram para o corredor.
Mas logo começaram a rir. Até a professora caiu na risada. O aluno teve que limpar tudo para a aula poder começar.

Na realidade, a aula já tinha começado, e recomeçou depois de a sala ter sido livrada dos estilhaços. Vou pensar um pouco antes de deixar cinco alunos entrarem atrasados da próxima vez que isso acontecer. Certo, Marcelo? E obrigada pelo texto que cedeu para o meu blog.


terça-feira, 5 de abril de 2011

Variantes de assalto

O texto de humor que segue foi veiculado na Internet no ano de 2003. Leia-o com atenção.


Assaltante nordestino
- Ei, bichim... Isso é um assalto... Arriba os braços e num bula nem faça muganga... Arrebola o dinheiro no mato e não faça pantim se não enfio a peixeira no teu bucho e boto teu fato pra fora! Perdão, meu Padim Ciço, mas é que eu to com uma fome da moléstia...

Assaltante mineiro
- Ô sô, prestenção... Isso é um assarto, uai... Levanta os braço e fica quetim quesse trem na minha mão ta cheio de bala.... Mio passá logo os trocado que eu num to bão hoje. Vai andando, uai! Ta esperando o quê, uai!!

Assaltante gaúcho
- O, guri, ficas atento... Bah, isso é um assalto... Levantas os braços e te aquietas, tchê! Não tentes nada e cuidado que esse facão corta uma barbaridade, tchê. Passa as pilas pra cá! E te manda a La cria, senão o quarenta e quatro fala.

Assaltante paulista
- Orra, meu... Isso é um assalto, meu... Alevanta os braços, meu... Passa a grana logo, meu... Mais rápido, meu, que eu ainda preciso pegar a bilheteria aberta pra comprar o ingresso do jogo do Corinthians, meu... Pô, se manda, meu...

Fonte: CEREJA, William Roberto e Thereza Cochar Magalhães. Português - Linguagens - 1ª série. Atual Editora, São Paulo, 2005.

O que vemos no texto são variantes regionais da língua portuguesa utilizadas em diferentes assaltos. Tomara que nunca nos deparemos com alguma dessas variantes ao vivo numa situação assim!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Uma carta

                          A carta é um meio muito antigo de comunicação e, por incrível que pareça, mesmo nestes dias de comunicação via computador, as cartas continuam sendo usadas.
              Tivemos uma atividade em aula, após assistirmos a uma videoaula sobre comunicação: redigir uma carta, contando as novidades sobre a nova escola para um antigo colega.
               Estou transcrevendo o trabalho da aluna Giselle, do 1º E, com algumas adaptações. Obrigada, Giselle.

                                                          Brasília, 23 de fevereiro de 2011

Querida amiga,

                 é com grande satisfação que escrevo esta carta. Primeiramente para dizer que estou super feliz por estar no primeiro ano do Centro de Ensino Médio 03 e dizer que é um ótimo colégio, apesar de ser um pouco longe de casa.

                  Está sendo uma ótima experiência, estou estudando várias matérias novas, estou convivendo com regras novas, outros professores e novos colegas.

                 Estou super feliz com essa mudança, estava mesmo precisando de mudanças.

                  E então me conta como está sua vida em outro estado? Também é tudo novo, não é mesmo? Escreva contando as novidades.

                  Um abraço da amiga

                    Giselle

                 
                 Numa carta, podemos observar os elementos presentes na comunicação. Nessa carta acima, por exemplo, o emissor é a Giselle, que a escreveu. O destinatário é a amiga da Giselle e a mensagem é a própria carta,
no contexto da vivência na nova escola. O canal utilizado para a mensagem é o correio e o código utilizado, a nossa língua portuguesa.

terça-feira, 1 de março de 2011

Diálogos - em site de relacionamento e no nível culto

Olá, amigos.
Pedi para os alunos escreverem um diálogo primeiro como teclam num site de relacionamento e depois como  o escreveriam no nível culto da língua portuguesa, que aprendemos na escola.
Vejam como ficou o trabalho da Izabela, do 1º ano D.


Diálogo em site de relacionamento
A - opaa!
B - opa blza?
A - só!
A - ow, tu vai sair sabado?
A - ???
B - pow, naum sei!
B - falei com os bicho, mais eles tao de rosca
A - ah só, mais convence os bicho la pow
A - ae junta móh galera, pra fazer bagunça
B - ta blza entaum
B - to saindo aki
B - beijoo
B - thau
A - falow

Diálogo no nível culto

A - Olá!
B - Olá, tudo bem?
A - tudo bem, sim!
A - Você vai sair no sábado?
B - Olha, eu não sei.
B - Falei com o pessoal, mas estão todos indecisos.
A - Tenta convencê-los!
A - Olha, junta o pessoal, para fazer a festa.
B - Tudo bem, então.
B - Vou sair agora.
B - Beijo, tchau!
A - Beijo, tchau!


É bom lembrar que o nível da linguagem deve se adequar ao interlocutor, à situação, ao local... Assim, os dois diálogos são adequados, dependendo de quando são utilizadas linguagem coloquial ou nível culto.
Gostei do trabalho, até a próxima tarefa!

Viaje na internet:
Porto Alegre turismo
Viajando em família


segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Um selinho!

Prezados leitores,


na comunidade dos blogueiros, há algumas gentilezas. Uma delas é conferir selos para outros blogs, como prova de reconhecimento e carinho.
Tenho outro blog que já ganhou alguns selinhos. Mas este, o Sala de Português, recebe pela primeira vez um selinho,  o selo abaixo, "Este blog faz a diferença", que recebi da minha amiga Cida, do  Compartilhando bênção (http://compartilhandobencao.blogspot.com).


O blog da minha amiga, assim como meu blog  Viver (www.celinasilvapereira.blogspot.com) comentam o dia a dia com reflexões de cunho religioso.
Vou colar o selinho ao lado,  e brevemente vou compartilhá-lo com outros professores que usem esta forma de comunicação.
Muito obrigada mais uma vez, professora Cida Kuntze.


domingo, 13 de fevereiro de 2011

Estudar Português por quê?

Na primeira aula do ano, questionamos por que estudar Português, já que todos nós nos comunicamos perfeitamente em nossa língua materna.
Vimos o conceito de adequação linguística;  estudamos o padrão culto da língua portuguesa porque em situações formais é necessário dominar esse padrão, sem o que estaremos à margem das melhores oportunidades profissionais, à margem da vida escolar, à margem das melhores universidades, à margem das leituras dos bons autores da língua.
A autora do artigo que vamos ler a seguir, Elaine Cristina Carvalho Duarte, é mestre em literatura pela Universidade de Brasília, residindo atualmente na Noruega. Leiamos alguns fragmentos do texto:
"Usar a língua é como usar roupas, tudo é permitido desde que sejam respeitadas as convenções necessárias. (...)
Cada comunidade tem sua própria forma de se expressar. Se pensarmos em nível nacional, cada região do país tem sua maneira de usar a língua. Um gaúcho fala diferente do mineiro, que fala diferente do paulista, que fala diferente do pernambucano, e assim por diante. A essas diferenças chamamos variantes linguísticas. Não há uma variante melhor que a outra, todas são igualmente importantes e representativas da cultura das comunidades que as falam. (...)
Com a língua escrita a coisa não é muito diferente. Temos os vários ambientes de escrita e cada um deles é diferente do outro. Um texto júrídico é diferente de um texto acadêmico, que é diferente de um bilhete, que é diferente de um bate-papo no MSN e assim por diante. Portanto, tanto na língua falada, como na escrita, devemos respeitar algumas convenções."
Assim, queridos alunos, há hora para usar a liberdade que a internet possibilita nos bate-papos do messenger, mas há hora para a correção ortográfica e de pontuação que a norma culta da língua exige.
Vamos estudar Português para dominar a norma culta. Quando for necessário, todos estarão aptos a utilizá-la. E logo teremos ex-alunos do CEM3 em vários setores da sociedade, com muito êxito em sua vida profissional e pessoal.
Para lembrarem, vejam minha foto no casamento do meu filho e  uma outra foto na praia. Roupa social, roupa esportiva e até pés descalços. Cada padrão no seu tempo certo.



quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Continuando

No dia 31 de dezembro do ano passado eu escrevi no meu outro blog:
"Nós contamos o tempo em anos, que se desenrolam em trezentos e sessenta e cinco dias, ao final dos quais ficamos felizes porque se inicia um novo ciclo.


Amanhã, é continuação da história, num novo capítulo. Fico feliz porque teremos um novo capítulo para viver, poderemos viver novas experiências. Regozijo-me porque teremos oportunidade de revisar as experiências passadas e corrigir o que não foi bom nas novas experiências do próximo capítulo.


Que todos nós que lemos esta página tenhamos um capítulo novo em nossas vidas, que convivamos melhor com os nossos filhos, com os nossos cônjuges, que ofereçamos mais carinho a nossos pais, a nossos irmãos, que revisemos também nossa experiência cristã.


Com amor, vamos virar a página."

Isso é verdade também para o ano escolar.
Vamos iniciar um belo capítulo novo, com muito amor.
E desejo também muito sucesso a todos nós.