domingo, 21 de junho de 2015

Camões lírico

Vejam este trabalho apresentado por alunos do primeiro ano A.

               Considerado o maior poeta lírico português de todos os tempos, sua poesia lírica ´marcada por uma dualidade: ora revela textos de nítida herança tradicional portuguesa, ora sua poesia se enquadra na medida nova renascentista. Podemos notar, ainda, a fusão dessas características em outros textos.
               Seus sonetos foram produzidos em medida nova. Suas poesias escritas em medida velha compreendiam redondilhas tanto maiores como menores, a maior parte delas estruturadas a partir de um mote, isto é, uma sugestão inicial, que era desenvolvida pelo poema nas estrofes seguintes, sob o título de volta.

Vilancete em medida velha, com versos de sete sílabas poéticas:


(Mote:)
Enforquei minha Esperança;
Mas Amor foi tão madraço,
Que lhe cortou o baraço.
(Volta:)
Foi a Esperança julgada
Por sentença da Ventura
Que, pois me teve à pendura,
Que fosse dependurada:
Vem Cupido com a espada,
Corta-lhe cerce o baraço.
Cupido, foste madraço.
Como se pode ver, o esquema rimático é: abb cddc cbb, que era o mais comum.

Soneto - versos de dez sílabas poéticas, dois quartetos e dois tercetos.

Sete anos de pastor Jacob servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
mas não servia o pai, servia a ela,
e a ela só por prémio pretendia.
Os dias, na esperança de um só dia,
passava, contentando-se com vê-la;
porém o pai, usando de cautela,
em lugar de Raquel lhe dava Lia.
Vendo o triste pastor que com enganos
lhe fora assi negada a sua pastora,
como se não a tivera merecida,
Começa de servir outros sete anos,
dizendo: Mais servira, se não fora
pera tão longo amor tão curta a vida!
(Luís de Camões)

Vamos observar neste soneto apresentado pelo grupo o que é esquema de rimas.Cada terminação ao final dos versos ganha a denominação de uma letra maiúscula. Assim, neste último poema, o soneto Sete anos de pastor,
a terminação ia é A,
a terminação ela é B
a terminação anos é C,
a terminação ora é D,
a terminação ida é E.
Logo, o esquema de rimas, que nada mais é que a sequência das terminações dos versos, que compõem as rimas,  neste poema é ABBA, ABBA nos quartetos e CDE, CDE nos tercetos.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Episódio do Gigante Adamastor

                     
                         Um dos  grupos do 1º ano A apresentou um trabalho sobre o célebre Episódio do Gigante Adamastor em "Os Lusíadas":

                          Inspirado em Homero e Ovídio, o episódio do Gigante Adamastor tem natureza simbólica, mitológica e lírica. É composto de vinte e quatro estrofes, no canto V do poema, estrofes 37 a 60.
                           No plano histórico, simboliza a superação pelos portugueses do medo do "Mar Tenebroso" das superstições medievais que povoavam o Atlântico e o Índico de monstros e abismos. Adamastor é uma alucinação que existe só nas crendices dos portugueses. É contra seus medos que os navegadores triunfam.
                           No plano lírico, o episódio é um dos pontos altos do poema "Os Lusíadas", retomando o tema do amor impossível e o do amante rejeitado, que aparece também nos poemas líricos de Camões.
                            No plano mitológico, a história lembra a mitologia grega. Adamastor é um dos gigantes filhos da Terra. Ele apaixonou-se pela nereida Tétis. Não foi correspondido e tentou tomá-la à força, provocando a cólera de Júpiter, que o transforma no  Cabo das Tormentas, ao sul da África, personificado numa figura monstruosa, lançada nos confins do Atlântico.
                              Neste episódio se concentram as grandes linhas da epopeia:
1 - O real maravilhoso (dificuldade na passagem do cabo).
2 - A existência de profecias (história de Portugal).
3 - Lirismo (história de amor, que irá ligar-se mais tarde ao episódio da Ilha dos Amores, também em Os Lusíadas).
4 - É um episódio trágico, de amor e morte.
5 - É um episódio épico, em que se consolida a vitória do homem sobre os elementos, pois os portugueses venceram a fúria do mar e obtiveram seu objetivo, passando o Cabo das Tormentas (depois chamado Cabo da Boa Esperança) e chegando à Índia viajando pelo Atlântico.

Alguns versos do episódio do Gigante Adamastor, que mostram o desaparecimento do Gigante e a passagem pelo Cabo.

Enfim, minha grandíssima estatura
Neste remoto cabo converteram
Os deuses, e, por mais dobradas mágoas,
Me anda Tétis cercando destas águas.
Assim contava; e c'um medonho choro,
Súbito d'ante os olhos se apartou;
Desfez-se a nuvem negra, e c'um sonoro
Bramido mito longe o mar soou.

Eu, levantando as mãos ao santo coro
Dos anjos, que tão longe nos guiou,
A Deus pedi que removesse os duros
Casos, que Adamastor contou futuros.
Já Flégon e Piróis vinham tirando,
Co'os outros dois, o carro radiante,
Quando a terra alta se nos foi mostrando
Em que foi convertido o grão gigante.


quinta-feira, 18 de junho de 2015

Redações premiadas 2

         
Apresento mais duas redações premiadas, sobre o tema "Sugestões para o uso inteligente do celular".

           Vejam estas redações das turmas C e A. Parabéns a Wallisson, Rodrigo, Ingrid, Simone e Wallace.

Redação 1
                     Nos dias atuais, boa parte das pessoas de todo o mundo possem um aparelho celular. Com o avanço da tecnologia, cada dia que passa os celulares estão ficando mais modernos, porém isso proporciona para o ser humano muitas vantagens e também muitas desvantagens.
                 Para muitas pessoas , o celular pode se tornar um objeto indispensável, causando dependência ou até mesmo problemas mais sérios, pois acaba se tornando um vício. Além disso, o celular afasta de quem está perto e aproxima de quem está longe. Com o celular, temos a vantagem de nos comunicarmos com mais facilidade, fazer cálculos, ouvir músicas, tirar fotos, acessar contas em bancos, navegar nas redes sociais, jogar ou até mesmo assistir TV. O celular substitui vários aparelhos, ou seja, ele tem multifunções, além de resolver muitos problemas na vida do ser humano.
                  As pessoas podem usar o celular de forma diferenciada para obter algo benéfico, como usá-lo para ler um livro, fazer campanhas de doações de alimentos, fazer um protesto para a resolução de um problema, entre outras coisas.
                  Concluímos, então, que, embora o celular tenha malefícios, ele tem uma função importantíssima na vida dos seres humanos nos dias de hoje.

Redação 2
                         Atualmente os celulares possuem várias funções. Muitas dessas funções são constantemente utilizadas, mesmo as funções inúteis como redes sociais e jogos.
                  Os telefones podem possuir funções úteis para o  dia-a-dia, como uma agenda eletrônica para organizar e verificar os  compromissos ou um aplicativo de internet para fazer pesquisas rápidas e necessárias.
                   Os smartphones (telefones inteligentes) possuem diversas funções, além de fazer ligações ou enviar mensagens como o GPS (para que se possa encontrar lugares), babá eletrônica e muitas outras funções. Muitos telefones possuem um aplicativo de saúde, onde se pode monitorar a saúde através de cálculos feitos pelo próprio aplicativo.
                   Os telefones atuais possuem várias funções que podem ser úteis no nosso dia a dia. Muitos telefones chegam até mesmo a substituir um computador. 


terça-feira, 16 de junho de 2015

Redações premiadas

Pedi aos alunos da turma B que redigissem uma dissertação sobre
Sugestões para uso inteligente do celular 
ou
Como seria o mundo sem as últimas invenções na área de comunicação e de transporte.
As dissertações foram agrupadas e resultaram em 5 redações. Os grupos premiados com o bônus foram os autores das seguintes dissertações, sobre o segundo tema.

Dissertação 1

                  Hoje a comunicação está muito mais fácil. Redes sociais, blogs e sites facilitam a comunicação e a troca de informações entre pessoas de todo mundo.
                   Sem a evolução ocorrida nos últimos séculos, não seria possível que pessoas que moram distantes umas das outras conversassem em tempo real. Acontecimentos importantes demorariam muito mais tempo para que chegassem ao conhecimento de todos.
                   A comunicação por cartas faz com que a informação, a mensagem a ser passada, demore muito até que chegue ao seu destino.
                   Com certeza, hoje o mundo é bem melhor com esses avanços tecnológicos, um mundo bem mais interativo, interessante e onde uma notícia é passada rapidamente a todos. Apesar dos pontos negativos, isso nos beneficia muito todos os dias.

Dissertação 2

            Não conseguiríamos imaginar o mundo sem os avanços tecnológicos que possuímos à nossa disposição hoje em dia. A evolução da tecnologia foi fundamental para o desenvolvimento da nossa sociedade moderna. Mas os avanços na área da comunicação e do transporte foram dos mais notáveis.
                   Há décadas atrás, para as pessoas se deslocarem de um continente, região ou país para outro demorava dias, semanas, meses, mas felizmente isso mudou graças à invenção do avião que possibilitou o deslocamento rápido de uma região para a outra.
                Seria bem triste as pessoas quererem conversar com um parente ou uma pessoa num lugar afastado e não poderem por causa da distância.  Mas hoje tudo mudou. Do século XX para nossos dias isso se tornou a coisa mais fácil deste mundo.
               Sem essa tecnologia, nossas vidas seriam menos fáceis e mais cansativas sem o conforto que temos hoje, pois nos comunicamos com extrema facilidade à distância. Por outro lado, num mundo sem tais tecnologias, seria tudo muito mais difícil, mas também seríamos menos sedentários, teríamos uma melhor saúde e seríamos menos acomodados.

Parabéns aos alunos Cristhiane, Camila Cavalcante, Ieda, Kevylin, Thiago Pereira, Jordan Souza, Esther de Paula, Antonio Carlos, Pedro Walter e Wesley D. Ferreira.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

A Ópera do Malandro

Estudamos neste bimestre a obra de Gil Vicente, que criticou todas as classes da sociedade medieval - nobreza, clero e o povo. A propósito de crítica social, estudamos também uma obra contemporânea de Chico Buarque, uma peça teatral musical denominada "Ópera do Malandro".
A peça trata de alguns tipos sociais, como a prostituta, o cafetão, o travesti.
A turma A apresentou um  trabalho sobre a Ópera do Malandro. Vejam os slides preparados pelo grupo.














Meus parabéns à Andressa, Marcos, Vitória, Patrícia Emely, Jayne,  que prepararam este belo trabalho.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Inês de Castro


            A propósito do Dia dos Namorados, podemos lembrar o episódio da história portuguesa celebrado por Camões em "Os Lusíadas" - a história do amor entre o príncipe D. Pedro de Portugal e Inês de Castro, que fora dama de companhia da rainha Constança, que faleceu.
             D. Pedro apaixonou-se por Inês de Castro e viveram um grande amor. Inês poderia casar-se com Pedro após a morte da rainha, mas por interesses políticos os nobres de Portugal não queriam permitir esse  casamento. Numa das ausências de D. Pedro, Inês foi assassinada cruelmente devido a esses interesses. Diz a história que, mais tarde ela teve uma sepultura junto aos reis e assim, depois de morta, foi rainha. Outros dizem que D. Pedro casou-se secretamente com ela antes que morresse e a proclamou rainha depois da morte.
              É esse amor, já narrado pelo cronista do Humanismo, Fernão Lopes, que Camões celebra em "Os Lusíadas".

"Tu só, tu, puro Amor, com força crua,
que os corações humanos tanto obriga,
deste causa à molesta morte sua,
como se fora pérfida inimiga.
Estavas, linda Inês, posta em sossego,
de teus anos colhendo doce fruito,
naquele engano de alma, ledo e cego,
que a Fortuna não deixa durar muito.
Nos saudosos campos do Mondego,
de teus fermosos olhos nunca enxuito,
aos montes ensinando e às ervinhas,
o nome que no peito escrito tinhas.

Do teu príncipe ali te respondiam
as lembranças que na alma lhemoravam,
que sempre ante seus olhos te traziam,
quando dos teus fermosos se apartavam;
de noite, em doces sonhos que mentiam,
de dia, em pensamentos que voavam;
e quanto, enfim, cuidava e quanto via
eram tudo memórias de alegria.

(...)
Assi como a bonina, que cortada
antes do tempo foi, cândida e bela,
sendo das mãos lascivas maltratada
da minina que a trouxe na capela,
o cheiro traz perdido e a cor murchada:
tal está, morta, a pálida donzela,
secas do rossto as rosas e perdida
a  branca e viva cor, co'a doce vida.
As filhas do Mondego a morte escura
longo  tempo chorando memoraram,
e, por memória eterna, em fonte pura
as lágrimas choradas transformara.

O nome lhe puseram, que inda dura,
dos amores de Inês, que ali passaram.
Vede que fresca fonte rega as flores,
que lágrimas são a água e o nome Amores.
(...)"

             Nada, porém, de tristezas para vocês neste Dia dos Namorados.
             Cultivem um doce e puro amor com seus amados e amadas!

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Camões épico

As turmas do primeiro ano estão apresentando trabalhos sobre o classicismo português e seu maior autor - Camões.Vejam este trabalho sobre a obra épica de Camões.

                  Luís Vaz de Camões é considerado como o maior poeta de língua portuguesa e dos maiores da Humanidade. As informações sobre ele são relativamente escassas e pouco seguras. A própria data de seu nascimento, assim como o local, é incerta. Foi comparado a grandes nomes da literatura como Virgílio, Dante, Cervantes e Shakespeare.
                  O épico camoniano tem como objetivo enaltecer o povo português, por seus heroicos feitos de guerra, conquistas e descobrimentos.
                   A palavra épico vem do grego epos e significa narrativa, recitação.
                   Alcançou a glória ao escrever "Os Lusíadas", longo poema épico publicado em 1572, que reflete toda a história e cultura de Portugal, usando Vasco da Gama como herói. Na época, foi considerado o grande poema épico nacional.
                   Camões relata a viagem de Vasco da Gama, tomando-a como pretexto para a narração da história de Portugal. No poema ele exalta a expansão portuguesa, conduzida nos padrões da monarquia, a favor das classes dominantes.
                                               Rota do caminho marítimo para as Índias

                    Camões recorre aos deuses mitológicos que estarão presentes na viagem de Vasco da Gama, envolvendo os protagonistas das viagens em vários episódios marcantes.
                    Toda a obra de Camões influenciou a posterior literatura portuguesa, de forma particular durante o Romantismo, criando muitos mitos ligados à sua vida.
                     Dividido em 10 cantos, "Os Lusíadas" possui 1102 estrofes, num total de 8816 versos, todos decassílabos. Esses dez cantos são divididos em cinco partes:
a) proposição: resumo do assunto abordado na obra;
b) invocação: pedido do autor para que uma divindade o inspire, no caso as Tágides, ninfas (entidades imaginárias) que habitavam o rio Tejo;
c) dedicatória: dedica a obra ao rei de Portugal, D. Sebastião;
d) narração: corpo do poema;
e) epílogo: fechamento do poema.
                    O nome "Os Lusíadas" é essencial para mergulhar na alma deste poema épico. O nome já indica que a narração se dá em torno dos lusos. São eles que mobilizam a história a ser contadas em dez cantos. Cada um deles funciona como um capítulo de um romance. O conjunto conta a história de Portugal, principalmente as glórias de navegadores, como Vasco da Gama e histórias dos reis lusos.
O poema apresenta também a luta mitológica entre a deusa Vênus, que protege os portugueses, e Baco, que não se cansa de criar dificuldades.
                    O poeta, para atingir seu objetivo, pede inspiração às Tágides, as ninfas do rio Tejo, e dedica a epopeia a Dom Sebastião, rei de Portugal quando o poema foi publicado. Há episódios antológicos da história portuguesa na narrativa como os de Inês de Castro, Velho do Restelo, Gigante Adamastor e Ilha dos Amores. Na última parte, o poeta se mostra desiludido com a pátria, antevendo a decadência de Portugal.
                                                                      Caravela

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Hiperônimos e hipônimos

Na introdução à semântica (parte da gramática ligada à significação das palavras), podemos estudar o que são hiperônimos e hipônimos. Os hiperônimos têm sentido mais genérico: remédios, por exemplo. Os hipônimos têm um sentido mais restrito e específico. Novalgina, por exemplo.
Nesse caso, remédios e Novalgina pertencem ao mesmo campo semântico, que é outro conceito estudado. Campo semântico é aquela área semântica em que há relações de significação entre as palavras. Esses dois vocábulos citados pertencem ao campo semântico ligado à medicação. Se mencionarmos um conjunto de palavras como antibióticos, pomadas para alergia, colírios, remédios naturais, fica bem claro que todas pertencem ao mesmo campo semântico.
Frequentemente, nos exames, há questões que visam a compreensão do que são hipônimos, hiperônimos e
campo semântico. Muitas delas listam conjuntos de palavras, para que se identifique aquela que está fora do campo semântico ou o conjunto que  apresenta alguma palavra que se encontra deslocada no conjunto.
Teste sua compreensão sobre o assunto com as questões seguintes:

1 - Assinale o conjunto que apresenta uma palavra que não se harmoniza com as demais, do ponto de vista semântico.

 (    ) A - Mesa, sofá, cadeira, poltrona, cama, armário.
 (    ) B - Escada, pilotis, apartamento, interfone, árvore.
 (    ) C - Geladeira, mesa auxiliar, fogão, armário para louça.
 (    ) D -  Piso, telhado, parede, janela, porta.


2 - Assinale o conjunto que apresenta hipônimos e o  hiperônimo correspondente.

(    ) A - Avon, Natura, Mary Kay, marcas de cosméticos.
(    ) B - Chevrolet, Ford, Volkswagen, Renault.
(    ) C - periquito, sabiá, pomba, tico-tico, mamíferos.
(    ) D  - cachorro, gato, coelho, tigre.


3 - Crie um conjunto de palavras correspondente ao hiperônimo coisa.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Premiação

                                                            Alunos destaque do 1º ano A


Na última terça-feira, houve o momento de premiação para vários alunos.
Foram premiados os alunos destaque das diversas turmas, os classificados no torneio esportivo interclasses, os alunos que obtiveram menção honrosa na OBMEP do último ano.
Foi com alegria que presenciei a premiação de todos, particularmente dos alunos das turmas do primeiro ano A, B e C. Houve vários alunos destaque na turma A, o primeiro B classificou-se em 3º lugar masculino no interclasses e o primeiro C, em 2º na categoria feminina.
É importante que os alunos se destaquem tanto no esporte como no desenvolvimento intelectual.
Esperamos que haja outras premiações com participações dessas minhas queridas turmas de alunos.

1º C - segundo lugar no torneio feminino

                                                      1º B - terceiro lugar no torneio masculino